No Eu Confesso você desabafa em TOTAL ANONIMATO O que espera? Desabafe! Clique no botão à direita.

perdi o controle sobre a minha vida Masculino

Confissão ID: 201423 - Por favor LEIA PRIMEIRO o texto antes de votar. Obrigado.

Partilhar: Facebook Twitter Linkedin

eu estou passando pelo momento mais difícil de toda a minha vida,tudo começou a umas semanas atrás,era quase 8 da manhã de sábado,eu estava com insônia e estava tentando dormir na minha cama,quando de repente eu ouço um barulho muito forte e contínuo,eu espero para ver se o barulho iria parar,mas o barulho continua,eu levanto da minha cama e vejo que o meu vizinho do lado estava fazendo obra na casa dele,só um detalhe,o quarto dele que ele estava fazendo obra ficava a menos de 5 metro do meu quarto,qualquer barulho,que ele fizesse no quarto dele,o barulho iria diretamente para o me quarto,eu fiquei indignado com aquilo,que absurdo era aquele,ele estava atrapalhando o meu sono,eu não tenho quase nada na vida,mas uma coisa que eu não abro mão é do meu sono,o meu sono é a única coisa que eu tenho na vida,eu levantei e comecei a gritar que eu queria dormir,eu gritei até ficar sem voz,eu achei um absurdo aquilo,como assim ele começa a fazer obra num dia de sábado,sábado que é um dia de descanso e que normalmente as pessoas acordam mais tarde e nem era ainda oito da manhã,eu fiquei gritando e batendo com a panela até meio dia quando a obra acabou e eu pude finalmente dormir

domingo não teve obra e eu pensei que a minha vida tivesse voltado ao normal,até que na semana seguinte,o pesadelo recomeçou,o vizinho começou fazer obra na quinta feira,eu não esperava aquilo,na quinta feira eu consegui dormir bem de dia,pois a obra só começou depois do meio dia,mas a noite da quinta-feira foi um horror,eu não consegui dormir nada por causa da minha ansiedade,eu fiquei pensando amanhã,ele vai fazer obra e vai me acordar,é horrível ficar sem dormir,o seu olho começa a arder muito,eu ficava deitado na cama de olho fechado e não conseguia dormir e olha que eu estava bem cansado,sexta-feira o meu vizinho fez obra de novo na casa dele,eu levantei as 6 da manhã e só consegui ir dormir depois das 4 da tarde e levantei era 8 da noite,sábado e dormindo foram a mesma coisa,eu não conseguia dormir por causa da ansiedade de noite e dormia de dia depois das 4 da tarde,segunda-feira foi o pior dia,eu estava literalmente tremendo de medo,eu fiquei tremendo de medo ao ponto dos meus dente baterem um no outro de tanto medo,felizmente segunda-feira não teve obra

foi ai que o meu pesadelo começou,toda quinta-feira eu era impedido de dormir e eu começava a gritar até perder a minha voz e isso continuava até domingo,a minha ansiedade foi a mil,eu não conseguia dormir de noite por causa da minha ansiedade

eu pedi ajuda ao meu pai para ele ir falar com o vizinho para ele parar de fazer aquele barulho,mas o meu pai ficou contra mim,eu falei com a minha mãe e ela também ficou contra mim,todo mundo ficou contra mim e ficou do lado do vizinho,eu nunca me senti tão sozinho em toda a minha vida,foi então que começaram a aparecer os pensamentos de suicídio,eu me sentia encurralado,eu estava preso em uma situação que eu não podia fazer nada para sair,eu me senti sem saída,todo mundo se voltou contra mim,na hora que eu mais precisei dele,eu resolvi pensar que o melhor seria que eu morresse,pelo menos morto eu não precisaria passar por aquilo

eu não sabia ainda quem era o vizinho por trás daquilo,depois de algumas semanas de obra,eu descobri o nome do vizinho e fiquei chocado com aquilo,o nome do vizinho que fazia a obra se chama Antonio,o Antonio é filho de um funcionário do meu pai chamado Marcos,eu tinha uma boa relação com o Antonio,eu nunca esperava essa atitude dele,eu nunca esperava esse tipo de crueldade dele em relação a mim,eu nunca fiz nada contra o Antonio para merecer aquilo,eu queria ter feito uma sácânágêm bem grande com o Antonio para pelo menos merecer aquele absurdo que estava acontecendo comigo,o meu pai e o marcos sabiam o tempo todo que o Antonio estava por trás da obra e mesmo assim eles não falaram nada para mim,eu pequei um ódio dos dois,eu pequei um ódio de todo mundo,foi então que eu pensei em fugir de casa e ir morar na rua,pelo menos na rua não teria ninguém para atrapalhar o meu sono,eu não fui para a rua,pois eu achava que a obra iria acabar logo e eu também não sabia em qual rua eu poderia ir para poder dormir

toda a noite que eu passava em claro,porque a ansiedade não me deixava dormir,eu falava sozinho alguém por favor me mate,eu não quero mais viver assim,é uma pena que eu não tenho uma arma de fogo em casa,se não eu já teria posto um fim na minha vida no primeiro dia de obra,eu sempre achei besteira ter uma arma de fogo,agora eu sei que ela é necessária nessas ocasiões de emergência

é nessas horas que eu queria muito acreditar em deus,se eu acreditasse em deus,eu pelo menos teria alguma esperança,já que eu sou ateu,eu não tenho nenhum entidade sobrenatural para recorrer

além de atrapalhar o meu sono,com aquelas marteladas e barulho daquela máquina que corta piso,aquilo também me atrapalhava a mexer no meu computador,você pode até achar que a minha atitude é exagerada,mas experimenta você ficar o dia inteiro ficar ouvindo o barulho de um obra para ver se você não teria a mesma reação que eu,o meu sono era a única coisa que eu tinha e eu não teria como deixar de dormir,eu até pensei durante a obra ficar tomando café o dia inteiro e nunca mais dormir,só que eu não tinha como ficar para sempre sem dormir

o meu vizinho pode fazer obra na casa dele contanto que não atrapalhe o meu sono,ele poderia fazer obra do meio dia as 6 da tarde e isso não atrapalharia o meu sono e o Antonio nem sequer me avisou que faria aquela obra,eu fui pego de surpresa por aquela obra

eu ouvi a voz do Antonio várias vezes durante a obra e no último sábado que teve obra eu estava acordado gritando que queria dormir quando eu vejo uma água que caiu em cima de mim,eu pensei que era chuva,mas eu olhei para o céu e o céu estava limpo quando eu vejo a janela do Antonio molhada,alguém na obra tacou água em mim,eu fiquei com raiva e pensei agora eles passaram do limite além de atrapalhar o meu sono,ele ainda taca água em mim,eu enchi duas leiteiras de água e taquei de volta,foi nessa hora que eu Antonio apareceu na janela,eu falei que eu nunca esperava essa crueldade do Antonio em relação a mim,que ele era um monstro,que caso o inferno existisse ele teria um lugar reservadinho nele,o Antonio ficou zoando com a minha cara,falou que iria chamar a polícia e até simulou uma gravação falando que eu ficava o dia inteiro a toa e queria atrapalhar a obra dos outros,eu falei que absurdo é aquele,primeiro ele atrapalha o meu sonho,depois alguém na obra taca água em mim e depois ele ainda fala que vai chamar a polícia,eu queria mesmo que ele chamassem a polícia e queria que eu fosse preso,pelo menos na cadeia eu poderia dormir

durante a obra uma tia minha falou que iria chamar a o hospício para me levar,eu queria também que ela fizesse isso,pelo menos no hospício,eu poderia dormir

eu quero estar em qualquer lugar diferente daqui,pode ser morando na rua,pode ser sendo preso ou indo internado no hospício

eu aprendi várias coisas com essa obra,eu aprendi a diferença entre saber e acreditar,toda semana eu acreditava que a obra iria acabar,mas eu notava nos dias seguintes que ela não acabava,eu era otimista,eu achava que no futuro a minha vida estaria melhor,só que quando chegava o futuro,a minha vida estava a mesma coisa

eu aprendi que quando eu mais precisar da ajuda dos outros,os outros vão me abandonar,eu estou fúdídô caso eu precise da ajuda dos outros

eu aprendi que aquele negócio de não fazer mal aos outros para os outros fazerem mal a você é mentira,os outros vão fazer mal a você caso eles queira,ficar sendo bom com outros não impede que eles sejam maus com você e nem diminui a possibilidade de eles serem maus,eu nunca fiz nenhum maldade com o Antonio,a chance de ele ser mau comigo deveria ser zero,mesmo assim ele fez essa maldade comigo

essa obra mexeu com o meu psicológico,o trauma psicológico dessa obra vai ser difícil de superar talvez até impossível,só que eu me recuso a gastar 1 centavo do meu dinheiro com psicólogo ou com médico,a culpa de eu estar assim é do Antonio,se eu for procurar ajuda vai ser com o dinheiro dele nunca clinica partir,eu não vou no sistema público de saúde,pois nesse caso eu estaria gastando o meu dinheiro,dinheiro que eu paguei através dos meus impostos e o dinheiro de outras pessoas que não tiveram nada a ver com a maldade que o Antonio me fez,se eu for procurar ajuda vai ser com o dinheiro do Antonio e só dele


já são mais de um mês de obra,quase dois meses talvez eu tenha esquecido de escrever algo nessa confissão e poste outras de complemento a ela

Obrigado por ter lido o desabafo de marionete.
Duas sugestões: Primeiro comente este desabafo em baixo e depois TOQUE AQUI e venha conhecer novas pessoas no chat amigosK.com
Visto recentemente no Chat:

Texto desabafado por marionete , em Segunda, 13 de Agosto de 2018
  • Você já leu todo o texto? Por favor vote este desabafo, clicando nas estrelas. marionete agradece.
Atualmenteé quase humanamente impossível ler todas as novas confissões que são publicadas diariamente. Se você considera que esta confissãoé ilegal, não está de acordo com as regras (*) do Eu Confesso [* regras listadas na página de publicação de confissões] ou ultrapassa todos os limites do razoável, por favor relate, utilizando o link REPORTAR ABUSO. Obrigado pela sua colaboração.

Comentários ao Desabafo de marionete

Por favor seja construtivo nos seus comentários.

0
0
0
0